BRASIL PASSA A INTEGRAR GRUPO DE 20 PAÍSES LÍDERES EM ENERGIA SOLAR

Brasil passa a integrar lista de 20 paises lideres em energia solar

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

O Brasil ocupa, hoje, o 16º lugar no ranking mundial de geradores de energia solar, com 4.533 MW de energia solar fotovoltaica instalada. Assim, o país subiu cinco posições, chegando a integrar o grupo de 20 países líderes em energia solar no mundo.

O ranking de países com maior geração de energia solar é encabeçado pela China, seguida por Japão, Estados Unidos e Alemanha. O Brasil, porém, é o único país da América Latina presente na lista mundial dos maiores geradores de energia solar.

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), após somar 2.120 MW em novos sistemas de geração de energia solar, em 2019, o país apresentou um crescimento de 90% somente no ano passado.

Esse crescimento foi puxado, principalmente, por instalações de pequeno porte, como os sistemas em residências e edifícios comerciais.

Geração distribuída

O crescimento de energia solar no Brasil já é uma realidade e, nos últimos anos, as instalações de pequeno porte foram as que mais tiveram procura no país. Essas instalações são feitas em telhados de residências, prédios comerciais e, até mesmo, em grandes terrenos.

Dessa forma, é possível notar os benefícios que um sistema de energia solar proporciona ao consumidor, como as regras definidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Essas regras garantem que a produção possa ser abatida da conta de luz dos consumidores. Isso fez com que diversos novos sistemas de pequeno porte fossem instalados no país, aumentando, assim, a geração de energia solar fotovoltaica.

Portanto, a chegada do Brasil na 16ª posição do ranking se deve aos sistemas domésticos e comerciais instalados durante o ano passado. 

Ainda segundo a ABSOLAR, as instalações distribuídas, como são conhecidas, adicionaram 1.470 MW em capacidade produzida, ou seja, mais que o dobro da geração de grandes usinas, que chamamos de geração centralizada, que foi de 650 MW.

Crescimento da energia fotovoltaica no Brasil

O marco regulatório da energia solar no Brasil data-se de 2012. De lá para cá, o setor cresceu consideravelmente tanto em instalações, quanto na geração de empregos. Segundo a ABSOLAR, só em 2019, o setor arrecadou cerca de R$10,7 bilhões em investimentos, e gerou mais 63 mil empregos.

De janeiro a maio de 2020, a potência instalada de geração de energia fotovoltaica, obteve crescimento de 1 GW. Segundo a ABSOLAR, o mercado teve um bom crescimento até agora, mas a expectativa é que continue crescendo. A pandemia do Covid-19 causou impactos na economia do mundo todo, e foi o que não permitiu o crescimento esperado para o primeiro semestre de 2020, que era um aumento de 4 GW. Entretanto, o órgão acredita que o setor conseguirá se recuperar com certa agilidade assim que a pandemia for controlada.

O setor acredita, ainda, que a fonte de energia solar terá um papel estratégico para a retomada da economia. Segundo a associação, o setor poderá arrecadar milhões de reais em investimentos privados, além de gerar mais empregos e fortalecer a arrecadação do poder público, além de aliviar os custos da energia elétrica para os consumidores.

Veja mais